Estamos na Rede!

#38 A prisão do Rei, Victoria Aveyard

Hey turma, tudo beleza? Finalmente vamos falar no  #desenrolandoolivro de A prisão do Rei, terceiro livro da série A Rainha Vermel...

sexta-feira, 5 de maio de 2017

#05 A Revolução dos Bichos, de George Orwell

https://www.facebook.com/Livros-e-Outros-Trecos-Blog-1409723155741204/
A internet não perdoa!
Compre pelos links indicados pelo Blog, 
assim você estará nos ajudando a permanecer no ar!

Link Geral da Amazon - http://amzn.to/2rcYYXN
Livro Revolução dos Bichos - http://amzn.to/2sOwMHU

Hey pessoas! Tudo bem? Hoje é dia de #DesenrolandooLivro e trago se não um clássico, ao menos A Revolução dos Bichos é o tipo de livro que todo mundo deveria ler pelo menos uma vez na vida, no mínimo!
Esse ‘romance sátiro’, ‘fábula realista’ ou ‘clássico moderno’, tantos nomes que podemos dar a ele né. Nos conta muito sobre nossa sociedade.
Eu já estava com um projeto para ler George Orwell e a interação de abril do Capa literária veio a calhar, foi a oportunidade de tirar a poeira dessa versão bonitinha que tenho e mandar ver!
https://www.instagram.com/livroseoutrostrecos/

A propósito em maio o aclamado 1984 esta na listinha hein, como falei nesse post aqui , sem delongas, bora lá!

O Autor
Sobre o autor, segundo notinha na Companhia das Letras, George Orwell, Pseudônimo de Eric Arthur Blair, nasceu em 1903, na Índia, e estudou em colégios tradicionais da Inglaterra. 
Jornalista, crítico e romancista, é um dos mais influentes escritores do século XX, famoso pela publicação dos romances A Revolução dos Bichos (1945) e 1984 (1949).
 Vindo a falecer de tuberculose em 1950 não podendo desfrutar por muito tempo do reconhecimento como escritor.
Quer saber mais do autor? Segue link da bibliografia dele aqui ;) 

O Livro
Publicado no Reino Unido em 1945 e apontado pela revista americana Time entre os 100 melhores da língua inglesa, A Revolução dos Bichos veio para mostrar a que veio! Após o pequeno conto ter sido rejeitado por diversas editoras pois nenhuma delas queria ‘colocar a cara pra bater’ caso fosse um fracasso ou fosse censurado.
Isso por que trazia muito desconforto ao satirizar com duras comparações a ditadura de Stalin em pleno finzinho da 2ª Guerra Mundial e que os soviéticos ainda lutavam contra o Eixo nazifacista de Hitler.
Mais de 60 anos depois de escrita, ela mantém o viço e o brilho de uma alegoria perene sobre as fraquezas humanas que levam à corrosão dos grandes projetos de revolução política. 
É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. 
De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens.

Vamos conhecer essa coisa linda então?
A história se resume nos animais da Fazenda do Solar resolvem fazer uma revolução e expulsar os donos, motivados pela revolta de trabalharem muito e nunca descansarem, comerem pouco a julgar que, tudo o que a fazenda produzia advinha dos animais, assim a eles tudo pertencia! Se a classe trabalhadora tudo produz, a ela tudo pertence! A minha formação acadêmica falando agora!
E assim foi feito! Após obtiverem sucesso na tomada da fazenda, as coisas andaram muito bem.... Até certo ponto! 

Alguns animais se destacaram na inteligência, passando a lideres, e os poucos tomando poder sobre os outros animais, transformando o lugar em uma ditadura rigorosa,  chegando a tirania, até pior do que a época do antigo Jones (dono da fazenda).
Não vou entrar em detalhes sobre qual personagem representa quem, pois ficaria algo muito didático e o meu negócio é ser prática! 
Então resumirei da seguinte forma.
Existe o tempo todo claras e objetivas referência na personalidade e ações dos animais.
Por exemplo, primeiro eram dois porcos (Napoleão e Bola de Neve) como líderes, que comandavam para melhor organização e comandos para todos animais, até que um ( bola de neve) ‘trai’ o grupo e é expulso. 
Temos o cavalo (sansão) sempre incansável e com o lema ‘Napoleão tem sempre razão’ e ‘trabalharei mais ainda’ que representa a parte trabalhadora que praticamente como o próprio cavalo usavam rédeas que só  enxergavam o que era comandado e o líder tem sempre razão, para mim este, foi a personificação dos próprios soldados ou trabalhadores envolvidos na guerra, que apenas obedeciam e o grau de manipulação era tão grande que não conseguia enxergar a verdade.
E o que eu mais me identifiquei o jumento (benjamim) digo isso pois ele era muuuito descrente naquilo tudo! Vivia dizendo que o fim era o mesmo, que por mais que quisesse mudar a realidade, o destino dos animais era apenas trabalhar para sustentar os seres humanos, que uma hora ou outra os humanos iam retomar a fazenda e o fim deles era trabalhar até a morte! Pois é, apesar de todo meu esforço, não creio que temos salvação... Só um meteoro mesmo, reseta tudo e começa do zero!
Familiar isso para vocês?? Nós, meros mortais, assalariados que trabalhamos sol pós sol, que representa a grande maioria dos brasileiros ganham o suficiente apenas para mal se manterem, enquanto produzem riqueza para os detentores dos meios de produção e acabam chegando ao fim da vida sem ao menos um descanso honesto!  A louca de humanas, assistente social atacando de novo!
E a história segue assim até o inédito acontecer.
“AS CRIATURAS DE FORA OLHAVAM DE UM PORCO PARA UM HOMEM, DE UM HOMEM PARA UM PORCO E DE UM PORCO PARA UM HOMEM OUTRA VEZ; MAS JÁ SE TORMARA IMPOSSÍVEL DISTINGUIR QUEM ERA HOMEM, QUEM ERA PORCO!

Minha Opinião
Para mim foi uma leitura muito grata, e que o tempo todo eu pensava ‘é assim mesmo’ me peguei fazendo comparações por diversas vezes, assim como essas que fiz durante o texto.
Um ponto que me fez pensar muito nesse livro é o fato que os animais objetivavam tanto a liberdade e queriam sair da tirania dos homens que quando conseguiram, os próprios animais acabaram fazendo o mesmo que os humanos faziam.
Nesse ponto me fez pensar até onde o poder pode nos levar? 
Ou até onde a busca do poder pode nos levar e o que estamos dispostos a fazer para conquista-lo? 
Seria possível uma sociedade igualitária? Sem hierarquia ou classes? 
Ou precisamos dessa ‘ordem’ para seguirmos em frente?
Caso você que está lendo estivesse na posição dos porcos, fariam o mesmo que eles? 
Vocês poderiam ter privilégios na comida, no trabalho e até mesmo na ordem hierárquica  pois são mais inteligente, ou tem mais facilidade que os demais?
 Ou se, mesmo com as qualidades e limitações de cada animal todos deveriam ser vistos e tratados como iguais?
Após responder todas essas perguntas, deixo você com uma frase:

“TODOS OS ANIMAIS SÃO IGUAIS MAS ALGUNS 
SÃO MAIS IGUAIS DO QUE OS OUTROS!”


Ufa... pesado heein? Vou deixar abaixo uma animação que não é exatamente como o livro, mas dá boa ideia do que se trata a narrativa, espero que tenham gostado e até a próxima! Beijocas!

4 comentários:

  1. Fico muito feliz com a sua participação no clube do livro e também com a resenha!! Bia, entre em contato comigo para receber o brinde da interação!! A interação no mês de maio será no Prateleiras, conto com a sua presença novamente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, que bom que gostou, vou te chamar no IG ok? 💜💜💜

      Excluir
    2. "Alguns animais são iguais mas alguns são mais iguais do que os outros ". Bem Brasil!
      Ângela Costa

      Excluir

www.livroseoutrostrecos.com/